Como escolher seu próximo computador

26 novembro, 2011

Fim de ano, muita gente pensando em comprar um computador.

Vejam no vídeo a seguir, divulgado no site Olhar Digital,  um Guia como escolher seu próximo computador, preparado pelo pessoal da INTEL, principal fabricante mundial de processadores.

Claro que a INTEL puxa a brasa para a sua sardinha, mas trata-se de um vídeo com informações bem interessantes que vale a pena ser visto e que é recomendado também pela CONSULTIC.

 

 http://www.olhardigital.com.br/embed/22374

Anúncios

Uma homenagem a Tadashi Koshima 1944 – 2011

12 novembro, 2011

Tadashi Koshima-

A CONSULTIC não poderia fazer a TADASHI KOSHIMA, falecido no dia 04.11.2011, maior homenagem que transcrever o texto a seguir, da nossa amiga ISABEL BARRETO, que com muito carinho e emoção relembra a trajetória do “Japonês” e mostra muito do que ele era, e do que representou e representa para a comunidade de TI da Bahia e do Brasil.

É uma pena, Isabel, sabermos que o nosso Capitão desta vez foi conduzir barcos em outros oceanos, mas fica aqui a certeza de que ele será sempre lembrado com muito carinho e agradecimento por todos aqueles que tiveram a ventura de conviver com ele. Fique também certa, Isabel, que desolados estão todos que conheceram o inesquecível TADASHI KOSHIMA.

Carlos da Silva Mascarenhas

 

Conheci Tadashi no inicio de 1974, eu ainda era estudante e  acreditava que a vida era infinita. A Prodeb estava apenas começando, ele era o Gerente de Desenvolvimento e eu apenas uma estagiária de programação num grupo de uns 10. Graças a Tadashi, logo fomos contratados e  após três meses tivemos nosso salário dobrado.  Em pouco tempo nos tornamos fãs incondicionais do japonês, pela sua simplicidade,  inteligência, coerência,  além do ser humano admirável e totalmente confiável. Daquelas pessoas que quando a gente conhece, pensa, quando eu crescer quero ser igual a ele. Super bem informado, sabia de tudo que se passava, na empresa e fora dela. Sincero, respondia ao que queríamos saber, sem esconder o jogo. E se havia um problema, sabíamos que ele tomaria providências, batalharia para resolver, enfim traria uma solução.

Mais tarde nos encontramos na Odebrecht, onde a equipe era super motivada, o trabalho tão prazeroso, que era até inadequado chamar de trabalho. Grande parte devido ao japonês, um líder nato. Dizia que éramos a “melhor equipe da Bahia” (estratégia motivacional) e ficávamos com os egos inflados, então com seu jeito manso, ele ia cobrando e se estava  convencido de determinada coisa ia até o fim. Bastava passarmos por ele num corredor, “ e aquela modificação que Fulaninho pediu? E o relatório… ? E…? ” … não esquecia absolutamente nada. Se pensávamos que podíamos enrolar, ledo engano, “…que nada!  É melhor fazer logo o que Tadashi quer, senão ele não vai nos deixar em paz…”. E assim era, como ele dizia, o papel do gerente é fazer fazer.

Tinha uma capacidade de análise e habilidade numérica,  realmente incríveis. Lembro-me quando trabalhava num sistema para  concorrência de obras de engenharia, ficávamos horas conferindo aqueles cronogramas financeiros enormes, fazendo contas e contas, quando Tadashi chegava, bastava dar uma olhada, e apontava “este número aqui… não está muito coerente!”, direto no erro.

Privilegiada que fui, tornei a encontrá-lo profissionalmente  na Processa. Ele, o mesmo, sempre motivado, positivo e com mil idéias na cabeça.

Pós Processa continuou cheio de planos: Cooperativa, Gestão de Conhecimento, Projeto Cid Teixeira, BlogTI, entre outros. E enchia nossas caixas de e-mails que certamente farão falta. Nos últimos encontros que tivemos eu sempre  admirava a sua memória fantástica, relembrava fatos, eventos ou mesmo pessoas que há muito eu havia esquecido.

De todos estes anos de convívio com Tadashi, tenho uma única queixa, de vez em quando ele partia, sumia, ia embora, eu me sentia como se o capitão houvesse deixado o barco à deriva.  Assim foi na Prodeb, Odebrecht, Processa e novamente agora, para sempre. Estou desolada.

Isabel Barreto

Salvador, 11/11/2011

Tadashi deixou sua esposa Lenice, e filhos: Takashi, Takeshi e Sayuri. A CONSULTIC  une-se a eles, nesse momento de tristeza e saudade.

Tadashi e família


Nostalgia tecnológica

30 setembro, 2011

Somente os dinossauros tecnológicos entenderão a mensagem profunda por trás de uma história em quadrinhos!

 



PREFEITURA DE ILHÉUS E A CIBERFOBIA

4 março, 2011

Mais uma vez volto a falar sobre este assunto, esperando que um antigo ditado, mais uma vez, seja confirmado: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”.

Apesar das minhas constantes críticas e sugestões, a nossa “vergonha cibernética” continua, pois a home page da Prefeitura Municipal de Ilhéus, que tem o endereço www.ilheus.ba.gov.br teve a sua última atualização feita em 15.12.2010. E fico imaginando um Empresário que pensa em investir em Ilhéus e acessa a página da Prefeitura para obter algumas informações. Pode até desistir de investir na nossa cidade.

Por outro lado, a página da TRANSPARÊNCIA ILHÉUS, em http://transparencia.ilheus.ba.gov.br/ , que durante algum tempo cumpriu o seu papel, e que inclusive é uma exigência legal; de uma hora para outra começou a dar problema e agora quando acessamos a área de despesas, exatamente aquela que devemos fiscalizar, dá a seguinte mensagem:

“ERRO FATAL. O seguinte erro fatal foi detectado na execução do procedimento: ERRO AO CONECTAR O BANCO”. ??????????

Ando buscando as razões para este nosso atraso tecnológico…

Pelo grande volume de recursos que a Prefeitura de Ilhéus tem investido em Tecnologia da Informação, tenho absoluta certeza de que não é a falta de dinheiro. Também não é falta de pessoal especializado, pois a UESC tem formado um grande número de Cientistas da Computação, e este pessoal tem desenvolvido excelentes trabalhos em empresas da região.

Pesquisando um pouco mais sobre o assunto, descobri que o problema pode não ser tecnológico e que pode tratar-se de um problema médico. Vejam a seguir o que publicou Rosângela Oliveira em http://www.parana-online.com.br.

“Um dos casos mais recentes de fobia – ligado à vida moderna – é a chamada ciberfobia, em que pessoas enfrentam estresse desnecessário ao entrar em contato com computadores ou outros equipamentos eletrônicos. Para esse e outros casos de fobia, somente um tratamento psiquiátrico e psicológico pode acabar com o problema.

Segundo Luiz Leite, 90% dos pacientes conseguem resultados significativos em dez semanas de tratamento. Nos casos mais graves, é preciso aplicar medicação para baixar a ansiedade, mas ele garante que todos conseguem acabar ou diminuir os sintomas. Ele destaca que as pessoas precisam se despir dos preconceitos e procurar ajuda. “Essa é uma possibilidade de mudar sua vida e acabar com um problema que pode estar atrasando sua vida pessoal ou profissional”, finalizou.”

Será que a equipe dirigente da nossa Prefeitura sofre de CIBERFOBIA?

Quem sabe a Secretaria de Saúde não resolve definitivamente o problema de informática da Prefeitura Municipal de Ilhéus?

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com

 


O FUTURO está LOGO ALI

2 março, 2011

Mais um questionamento sobre a Prefeitura Municipal de Ilhéus e Tecnologia da Informação

22 fevereiro, 2011

Que houve uma sensível melhoria nos serviços de informática da Prefeitura Municipal de Ilhéus, principalmente na área de Tributos, isto ninguém, em sã consciência, pode negar. O que se pode e deve discutir é a forma de contratação dos serviços de TI – Tecnologia da Informação, e o preço que está sendo pago por estes serviços. E isto passo a fazer aqui neste post.

Como pode ser visto no Portal da Transparência de Ilhéus em http://transparencia.ilheus.ba.gov.br/ , que não me canso de aconselhar todos visitem, se possível diariamente; no dia 21.01.2011 a Prefeitura pagou à E&L Produções de Softwares LTDA., a importância de R$ 36.500,00 (trinta e seis mil e quinhentos reais) referente à locação de softwares durante o mês de novembro/2010, para uso nos setores de: recursos humanos, tributos, protocolo, almoxarifado, patrimônio, contabilidade e compras/licitações, conforme Termo de DISPENSA de Licitação número 001/2010. Se anualizarmos esta despesa teremos então um dispêndio anual da ordem de R$ 438.000,00 (quatrocentos e trinta e oito mil reais), só com a locacão destes softwares

Cabe aqui ressaltar que a E&L, é uma Empresa com sede na cidade de São Martins-ES., e que a Prefeitura de Ilhéus, além das despesas de locação do software, deve pagar também, não tenho certeza, despesas de viagem e hospedagem dos técnicos da E&L, quando aqui vêem dar manutenção nos sistemas, e treinamento ao pessoal da PMI.

Tendo em vista as informações acima explicitadas, apresento a seguir, algumas considerações que acredito deveriam ser objeto de análise do nosso Prefeito e sua equipe:

1. Será que temos uma justificativa realmente robusta para explicar a dispensa de licitação para a contratação de um serviço/software para o qual temos um grande número de fornecedores no mercado regional e nacional?

2. Será que o pessoal da área de Tecnologia da Informação do CEPEDI ou da nossa UESC, não poderia desenvolver um Sistema a custos bem mais baixos, com a vantagem do dinheiro investido circular aqui mesmo na nossa região e com custos bem menores de manutenção?

3. Será que o preço que a Prefeitura de Ilhéus está pagando é um preço realmente justo e condizente com o mercado e com o escopo do Sistema?

4. Será que não é hora da Prefeitura de Ilhéus começar a ver TI – Tecnologia da Informação como um recurso realmente estratégico, que pode diminuir custos, melhorar a qualidade dos serviços prestados à população e resolver o problema de forma global, fazendo um Planejamento Integrado para os seus Sistemas de Informação e Comunicação? Não se deve esquecer o Projeto de Cidade Digital ara a nossa cidade.

Aproveitando a oportunidade, gostaria de lembrar que a Home Page da Prefeitura continua sendo uma vergonha para o nosso município, e que não usar este moderno meio de comunicação é uma prova até de burrice, e também de dizer ao nosso Prefeito Newton, a quem admiro e respeito, que o meu objetivo ao ser algumas vezes até duro nas críticas que faço à sua gestão, tem o único objetivo de ajudá-lo a melhor administrar a nossa cidade, até porque, como filiado ao PT – Partido dos Trabalhadores, me sinto também responsável pelos erros que algumas vezes são cometidos.

Carlos da Silva Mascarenhas

Economista, Ilhéense e filiado ao Partido dos Trabalhadores


FINEP lança edital de R$500 Mi para Inovação

10 setembro, 2010

 

A FINEP acaba de lançar o edital nacional de subvenção econômica 2010, no valor de R$ 500 milhões. Os recursos, de natureza não reembolsável, vão apoiar projetos de inovação desenvolvidos por empresas brasileiras em seis áreas estratégicas: tecnologias da informação e comunicação; energia; biotecnologia; saúde, defesa e desenvolvimento social. Na área de energia, por exemplo, o edital contemplará projetos de pesquisa voltados para o desenvolvimento do carro elétrico além de soluções para exploração e desenvolvimento em campos off-shore de petróleo. As empresas interessadas têm até o dia 7 de outubro para preencher o formulário eletrônico, que estará disponível no site da FINEP no dia 31 de agosto.

Poderão concorrer aos recursos empresas de qualquer porte, individualmente ou em associação com outras empresas. Não será permitido a uma determinada empresa apresentar ou participar de mais de uma proposta por tema. O menor valor a ser solicitado é R$ 500 mil, podendo o financiamento chegar ao valor máximo de R$ 10 milhões. No mínimo, 40% dos recursos serão investidos em pequenas empresas, empresas de pequeno porte e microempresas e, no mínimo 30% deverão atender empresas localizadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 

A empresa que tiver seu projeto aprovado, também precisará investir recursos próprios no desenvolvimento da pesquisa. Essa contrapartida varia entre 10% e 200% do valor do financiamento, dependendo do porte da empresa. As empresas que tiverem interesse poderão recorrer aos programas de crédito da FINEP para levantar os recursos oferecidos como contrapartida na proposta de subvenção econômica. “Ao utilizar o instrumento da subvenção, a ideia do governo é dividir com o empresário o risco da inovação”, afirma o diretor da FINEP, Fernando Ribeiro. Daí a exigência da participação financeira da empresa no desenvolvimento da pesquisa apoiada pela subvenção.

No julgamento das propostas serão considerados aspectos como, aderência ao tema, grau de inovação, viabilidade técnica e financeira do projeto, impacto no mercado e capacidade técnica da equipe executora.

Conheça alguns dos temas que serão apoiados nas seis áreas:

Tecnologias da Informação e Comunicação – Projetos de desenvolvimento de circuitos integrados, componentes eletrônicos para displays e dispositivos optoeletrônicos e microeletromecânicos, além de sistemas, software ou hardware, de grande impacto na Copa de 2014 e nas Olimpíadas de 2016, capazes de alavancar a empresa para o mercado externo, nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana e sistemas de e-gov. O edital inclui ainda equipamentos, dispositivos e sistemas inovadores para comunicações de alta velocidade, capazes de impactar de forma significativa a implementação do backbone do Plano Nacional de Banda Larga.

Energia – Desenvolvimento de soluções para exploração e desenvolvimento em campos off-shore de petróleo e/ou gás, incluindo modelagem de bacias, imageamento sísmico e aquisição e processamento de dados. Também engloba plantas-piloto para obtenção de etanol de segunda geração a partir de biomassa e algas e sistemas de tração elétrica, baterias e capacitores aplicados a veículos elétricos automotores, inclusive em versão híbrida.

Biotecnologia – Inovações em bioprodutos para aplicação em agricultura, plantas geneticamente modificadas destinadas ao controle de pragas e doenças e à adaptação a condições adversas, para culturas industriais; fixação de nitrogênio em gramíneas e leguminosas. Inclui ainda o desenvolvimento de bioprodutos para aplicação nas indústrias farmacêutica e de cosméticos, que utilizem princípios ativos e essências retirados da biodiversidade brasileira, e para diagnóstico rápido de doenças infecciosas, degenerativas e genéticas.

Saúde – Desenvolvimento de dispositivos de uso em saúde humana, com ênfase em implantáveis: marcapasso, cardioversor desfibrilador, coclear com gerador elétrico e próteses de quadril e joelho, alem de equipamentos em saúde, com ênfase naqueles destinados a: diagnóstico por imagens; diagnóstico in vitro; hemodiálise e acessórios; amplificação sonora individual; centrífuga refrigerada para bolsa de sangue; freezer / conservador de ultrabaixa temperatura para amostras, sangue e vacinas. Inclui ainda inovações para testes e avaliação da segurança e desempenho de equipamentos elétricos,  em moléculas e processos que contribuam para o desenvolvimento da produção nacional de insumos farmacêuticos ativos e medicamentos para uso no tratamento de doenças infecciosas, degenerativas e genéticas.

Defesa – Propostas de soluções integráveis para voo autônomo, incluindo decolagem e pouso automático e sistemas óticos e infravermelho para Veículo Aéreo Não Tripulado. Também inclui sistemas ligados à segurança e controle de navegação; acelerômetros e girômetros para aplicações diversas e materiais para proteção balística individual e de veículos para emprego militar.

Desenvolvimento Social – Sistemas de massificação do acesso à internet de banda larga, para atender as políticas públicas de inclusão digital em áreas urbanas e rurais, produtos e processos baseados em tecnologias sustentáveis para: habitação de interesse social, saneamento em processos de tratamento de água e esgoto, de baixo custo de implantação, operação e manutenção. Também apoiará produtos e serviços inovadores que permitam a acessibilidade de pessoas com deficiências, dentro dos princípios do design universal.

 

Fonte: Site FINEP http://www.finep.gov.br//imprensa/noticia.asp?cod_noticia=2314