Para espairecer – O planeta movido à internet

21 novembro, 2011

A dupla de repentistas “Os Nonatos”, cantando sua visão da internet que domina o planeta.

(Dica do Ousarme Citoaian, colunista do Pimenta na Muqueca)


Consistência, credibilidade e veracidade das notícias divulgadas nos blogs

24 fevereiro, 2009

Sobre o caso da advogada Paula Oliveira (me recuso a dar adjetivos, a essa altura todos sabem a quem me refiro), muito se falou, muito se escreveu, muito se supôs… e o final da história parece ser triste para ela. Disso eu nunca duvidei, pois de qualquer maneira ela seria vítima: ou de neonazistas ou de si mesma, mas sempre seria vítima.

Mas nessa história toda, que começou com um post do jornalista Noblat em seu blog, pode-se perceber o poder de um blogueiro, como bem colocou o Mr. Wagner no seu Blog de Guerrilha. Nós, da Consultic,  que trabalhamos disseminando a idéia da comunicação via blogosfera, avaliamos como muito sensata a palavra do Mr. Wagner. Transcrevemos aqui,  com o desejo de que essas reflexões toquem fundo em quem tem e lê blogs.

“Não quero focar no que alguns podem considerar erro jornalístico e nem condenar o Noblat, entrando na questão de checar ou não as informações. Isso é assunto para um outro blog em outro horário.

Na ótica guerrilheira, foco desse blog, só quero levantar questão de “informação se espalhando”, de influenciadores versus influenciados, de “créditos de confiança” e etc.

Vejam o caso da brasileira que declarou ter sido atacada por neo-nazistas suiços, por exemplo. Tudo começou com um email recebido por um blogueiro em seu celular (como por ele mesmo explicado aqui: ). Este email gerou o primeiro relato publicado no Brasil sobre o caso Paula Oliveira, ou o “furo em primeira mão no blog” (veja aqui).

Pois bem, este furo, pelo poder de influência do blogueiro que o publicou rapidamente chegou na grande mídia. Logo em seguida no governo, na comissão de direitos humanos da ONU e também se transformou na conversa preferida nos “bebedouros da firma”, nos salões de cabelereiro, nas mesas de bar. E pela sua força na mídia e nas ruas alimentou ainda mais as discussões na web, parindo comunidades no Orkut e posts indignados.

Uma bola de neve de imensas proporções. Proporções tão grandes que se a Suiça não fosse um país tão neutro e bem resolvido, certamente teríamos aí o primeiro case de “incidente diplomático” causado pelo poder de um blogueiro.

“Blogueiro”: um indivíduo (com qualidades e defeitos) que decide o que posta ou não, sem o olhar de um editor ou de um “conselho editorial”, quase sempre sem a ajuda de uma “segunda opinião”. Um cara praticamente sozinho com sua consciência e experiência que filtra os emails de conhecidos e desconhecidos, julgando sumariamente se aquele conteúdo é válido para entrar na conversa diária que leva com seus importantes leitores.

O sonho de todo mundo lidando com propaganda e pensando nestes novos paradigmas de comunicação é criar uma bola de neve com iguais proporções para a sua campanha. E com este “case suiço” posso ilustrar algumas visões pessoais que tenho sobre este sonho:

Blog tem força para influenciar a mídia, não as conversas no cabelereiro. Se você quer chegar no povão semeando algo em blogs, mire na mídia. Uma coisa que “está bombando na blogosfera” muito provavelmente está sendo ignorada nas ruas. Quem acredita nisso está assumindo que é o centro do universo, quando na verdade nós é que estamos na periferia. O “centro do universo” ainda é o Jornal Nacional.

– Um blogueiro só vai se deixar levar pelo que você quer semear se aquilo traz algum benefício para a sua vaidade/reputação.

– Não citei o benefício monetário no item anterior, repararam? O blogueiro pode até publicar algo em troca de grana, mas aí a chance da sua bola de neve continuar rolando diminui bastante. A grande mídia só se deixa levar por um blogueiro se ele tem credibilidade. Blogueiro que vende opinião não tem credibilidade. Pelo menos não com pessoas inteligentes.

Quanto mais credibilidade o blogueiro tiver e quanto mais benefícios a sua história oferecer, menos barreiras ela vai enfrentar para ser replicada na grande mídia. Chegando em alguns casos ao absurdo de sequer ter a sua veracidade checada.

“O poder de um blog não está em quantos visitam, mas sim em quem visita”. É impressionante ver como a turma de “social media” adora replicar esta frase de efeito (muitas vezes para justificar para um anunciante porque aquela citação num blog de 200 vistas/dia é “legal”), mas na prática ignora isso, quase sempre propondo ações que em vez de seduzir o blogueiro pelo benefício de reputação acabam se revelando latões de lixo para jogar a sua credibilidade fora.

[]´s Mr Wagner”

Este post estava pronto, esperando revisão para ser publicado, quando vivi algo muito semelhante em termos de notícias inverídicas divulgadas, aqui em Ilhéus.

Estive no centro da cidade no final da tarde e confesso que fiquei assustada com o pânico da população. A notícia de que “está vindo um arrastão aí” fazia o povo correr e os lojistas baixarem as portas. E me vi em maus lençóis. De salto alto e com o joelho estourado por conta da condromalácia patelar, raciocinei rápido: Não vou correr; se quiserem me “arrastar”, arrastam, porque correr vai ser um prejuízo maior. Então, bem calma, continuei o percurso que precisava seguir.

Ia esperar meu pai em frente à banca de revistas de Joãozito, defronte ao Ed. Misael Tavares. Do batente e relativamente protegida atrás dos expositores de revistas, pude ter a noção clara das coisas. As notícias chegavam a alguém por celular, e essa pessoa saía correndo, apavorada. Instantâneamente outras corriam também e o tumulto se instalava. Minutos depois, tudo calmo novamente. Até alguém correr de novo. E em todo o tempo que fiquei ali não aconteceu absolutamente nada a não ser o pânico gratuito repassado de um para outro, quem sabe com o motivo de ter o que contar depois.

Entendi que era terrorismo, sabe Deus vindo de quem, e com que intenção. O fato é que NÃO ACONTECEU NADA além do assassinato do traficante na noite de ontem. Mas o telejornal local e sites jornalísticos  regionais noticiaram “saque no comércio“, “arrastão no centro, vindo do Malhado e da Conquista“,  e até agora, salvo este posicionamento não identificado neste site, ninguém desmentiu as notícias.

Nós blogueiros precisamos ter muito cuidado com o que divulgamos. Jornalismo sério é caro. Custa tempo de checagem da informação e pode fazer a credibilidade do blogueiro rolar escada abaixo e ainda descer pelo ralo do quintal. E mesmo quando não é jornalismo, que é o meu caso, o que escrevemos aparece nos resultados de busca no google, e quem nos lê toma como verdade absoluta o que escrevemos com tanta segurança.

Anabel Cavalcanti. Comunicóloga, blogueira e ilheense de coração.


Destrua seu computador antigo se quiser se manter a salvo

11 janeiro, 2009

Se você planeja se livrar de seu computador velho, certifique-se de remover antes o disco rígido e de esmagá-lo com um martelo, HardDiscalertou um grupo de defesa do consumidor britânico nesta quinta-feira.

A revista de computação Which? Computing informou que a única forma de ter certeza de que os fraudadores não poderão roubar detalhes pessoais de um computador antigo é destruindo a máquina de verdade. Simplesmente deletar ou limpar o disco não é o suficiente.

A publicação informou que comprou oito discos rígidos de segunda mão no site de leilões eBay, e recuperou 22 mil arquivos "deletados", incluindo algumas informações que podem ser confidenciais.

Criminosos – que, segundo a revista, rondam áreas de lixos públicos e sites de internet como o eBay– podem usar softwares especializados para recuperar informações, que podem ser então usadas para cometer roubo de identidade.

"PCs contêm mais dados pessoais valiosos à medida que pessoas passam a fazer mais compras on-line, usar sites de relacionamento social e armazenar fotos digitais", disse Sarah Kidner, editora da revista.

"Mesmo que delete seus arquivos, você ficaria surpreso em saber como é fácil recuperar os seus dados pessoais. Soa extremismo, mas a única forma de estar 100% seguro é destruindo seu computador em pedacinhos."

Fonte: Reportagem de Michael Holden – Reuters
08/01/2009


Waldez Ludwig – "Gestão Empresarial no Engenho"

22 novembro, 2008

Em entrevista no programa Sem Censura da TVE, o consultor empresarial Waldez Ludwig aborda a questão do empreendedorismo e da gestão empresarial, fazendo uma analogia com o tempo da escravidão. Apresenta três "classes" de pessoas: Senhores de Engenho, Capatazes e Escravos. 

De uma maneira simples e bem humorada ele mostra verdades  que podem mudar sua visão sobre sua própria vida em seu trabalho.

Assistindo os vídeos, surgem perguntas como: Qual a minha vocação? Como eu tenho me portado? O que pode mudar para que eu deixe de viver como escravo? O que eu faço melhor do que todo mundo? Quanto eu valho no mercado?

Vale a pena. Assista!

 

 


Aproveitando as descobertas

24 outubro, 2008

A recomendação da semana é colocar no reader o Serendipidade – Blogando Descobertas. O nome é explicado pelo próprio blogueiro, Fábio Cipriani:

Aportuguesamento de Serendipity. Palavra formada por Serendip ou Serendib (do árabe Sarandíb), antigo nome do Sri Lanka, + sufixo -ity, palavra criada em 1754 por Horace Walpole no conto de fadas Os três príncipes de Serendip, cujos heróis sempre faziam descobertas acidentalmente ou por sagacidade de coisas que não procuravam

Dei uma viajada boa por todo o blog, mas me detive especialmente na tag Blog. Textos agradáveis de ler, "didáticos", como ele mesmo se apresenta em um deles. Só pra dar uma mostra, vejam as 7 aleatórias sobre blogs:

    1. O blog é mais que seu cartão de visita. Com o tempo ele vai falar mais de você que um mero espaço de 9×5 cm.
    2. Alguns blogs tem tanto anúncio que me pergunto se quantidade dá lucro. E a suposta qualidade que o autor deveria praticar? E a poluição visual?
    3. Blogueiros gostam de falar sobre eles mesmos. E seus blogs. Isso é gostar do que se faz.
    4. Já temos um cemitério no ar. Blogs de pessoas que se foram podem ficar e fazer com que a presença nessa vida seja ao menos estendida um pouco.
    5. Temos berçários também.
    6. O blog luta por seu espaço na mídia. Mas blog é diálogo. Mídia não é diálogo (ao menos ainda). Não combina. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Mania de comparação que temos.
    7. Os blogs de uma nação mostram o caráter e características do seu povo.

Só para terminar, tem post com os Destaques da Semana no Blog dos Blogs da Costa do Cacau.


Caravana da Consultic será "A" Caravana da Bahia na CP 2009

20 outubro, 2008

Com mais de 2.000 inscritos, em menos de um mês de inscrições abertas, a Campus Party Brasil 2009 já se desenha como um sucesso. E a nossa caravana também.

Acabei de fazer contato via telefone com os organizadores da CP, e… a informação que obtive é que eles irão, sim, dar tratamento diferenciado para caravanas, mas com um pequeno detalhe: Apenas uma caravana por estado. Os primeiros a fazer contato serão os credenciados. Assim… a Caravana da Consultic já devidamente inscrita (reservamos 60 vagas) será "A" Caravana da Bahia.

Ainda não está completamente fechado o patrocíno das barracas gratuitas para acampar no local da CP, então, por enquanto, cada campuseiro terá que levar sua própria barraca, que pode ser de qualquer tamanho (para uma, duas, quatro ou mais pessoas).

Faça sua pré-inscrição conosco, enviando nome completo, e-mail, telefone e opção (ônibus, avião ou avião com hotel) para anabel.consultic@gmail.com ou roberta@passosturismo.com.br .