NOTA DA BITWAY COMPUTADORES

7 outubro, 2011

É com profundo pesar que comunicamos o falecimento hoje, em Salvador-Ba., do nosso Diretor Presidente MARTIAL BATISTA CÂMARA.

Martial nasceu em Itajuípe-Ba., no dia 12.05.1945. Era filho de Martial Barros Câmara e Jocelina Batista Câmara. Casado com Celina Pereira Câmara, pai de Carolina, Marcela, Martial Neto e Diana, e extremoso avô de Alice e Sofia .

Economista, formado pela Faculdade de Ciências Econômicas de Itabuna em 1970, Martial começou muito cedo a sua carreira profissional, tendo trabalhado na CEPLAC, na RITAN, no Banco Lar Brasileiro, no Banco Econômico – PROCESSA,e  na COPERCACAU.

Em 1983 fundou a CACAUDATA, revenda de Computadores SID, e em 1996, com Paulo Carvalho, fundou a BITWAY Computadores, empresa precursora do Pólo de Informática e Eletroeletrônica de Ilhéus, que hoje conta com Unidades Industriais em Ilhéus-Ba. e em Piraquara-PR.

Exemplo de filho, pai, esposo, irmão, empresário e amigo, Martial deixa muitas saudades e deixa também um exemplo de vida, mostrando que o homem preocupado com o próximo, pode conviver com o Empresário que cria empregos, gera renda e promove o desenvolvimento sócio-econômico.

O corpo de Martial será cremado hoje às 17:00 horas do Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador-Ba.

Anúncios

PEGADA ECOLÓGICA

1 outubro, 2011

Um recado “direto” para aqueles que se colocam frontalmente contra o PROJETO PORTO SUL traçando cenários catastróficos, e também para aqueles que ignoram os seus aspectos e impactos ambientais e querem o crescimento acima de tudo:image

 

“Em vez de tentarmos impedir a caminhada do Projeto, ou acreditarmos ser ele o remédio para todos os nossos males, o que devemos fazer, e com o maior cuidado, é medir, monitorar, estabelecer compensações e se for o caso mitigar a sua PEGADA ECOLÓGICA.”                                                                              

 

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com

 

 

 

O que é Pegada Ecológica?

Texto obtido em: http://www.alvissaras.net/ . Adaptado de wwf.org.br

Você já parou para pensar que a forma como vivemos deixa marcas no ambiente? É isso mesmo, nossa caminhada pela Terra deixa “rastros”, “pegadas”, que podem ser maiores ou menores, dependendo de como caminhamos. De certa forma, essas pegadas dizem muito sobre quem somos!

O que é Pegada Ecológica

A partir das pegadas deixadas por animais na mata podemos conseguir muitas informações sobre eles: peso, tamanho, força, hábitos e inúmeros outros dados sobre seu modo de vida.

Conosco, acontece algo semelhante. Ao andarmos na praia, por exemplo, podemos criar diferentes tipos de rastros, conforme a maneira como caminhamos, o peso que temos, ou a força com que pisamos na areia. Se não prestarmos atenção no caminho, ou aceleramos demais o passo, nossas pegadas se tornam bem mais pesadas e visíveis. Porém, quando andamos num ritmo tranqüilo e estamos mais atentos ao ato de caminhar, nossas pegadas são suaves.

Assim é também a “Pegada Ecológica”. Quando mais se acelera nossa exploração do meio ambiente, maior se torna a marca que deixamos na Terra. O uso excessivo de recursos naturais, o consumismo exagerado, a degradação ambiental e a grande quantidade de resíduos gerados, são rastros deixados por uma humanidade que ainda se vê fora e distante da Natureza. A pegada ecológica não é uma medida exata e sim uma estimativa. Ela nos mostra até que ponto a nossa forma de viver esta de acordo com a capacidade do planeta de oferecer, renovar seus recursos naturais e absorver os resíduos que geramos por muitos e muitos anos. Isto considerando que dividimos o espaço com outros seres vivos e que precisamos cuidar da nossa e das próximas gerações. Afinal de contas, nosso planeta é só um!

O que compõe a pegada?


A pegada ecológica de um país, de uma cidade ou de uma pessoa, corresponde ao tamanho das áreas produtivas de terra e de mar, necessárias para gerar produtos, bens e serviços que sustentam determinados estilos de vida. Em outras palavras, a Pegada Ecológica é uma forma de traduzir, em hectares (ha), a extensão de território que uma pessoa ou toda uma sociedade “utiliza”, em média, para se sustentar. Para calcular as pegadas foi preciso estudar os vários tipos de territórios produtivos (agrícola, pastagens, oceano, florestas, áreas construídas) e as diversas formas de consumo (alimentação, habitação, energia, bens e serviços, transportes e outros). As tecnologias usadas, os tamanhos das populações e outros dados, também entraram na conta. Cada tipo de consumo é convertido, por meio de tabelas específicas, em uma área medida em hectares, Além disso, é preciso incluir áreas usadas para receber os detritos e resíduos gerados e reservar uma quantidade de terra e água para a própria natureza, ou seja, para os animais, as plantas e os ecossistemas onde vivem, garantindo a manutenção da biodiversidade.

Composição da Pegada Ecológica

TERRA BIOPRODUTIVA: Terra para colheita, pastoreio, corte de madeira e outras atividades de grande impacto.
MAR BIOPRODUTIVO: Área necessária para pesca e extrativismo.
TERRA DE ENERGIA: Área de florestas e mar necessária para absorção de emissões de carbono.
TERRA CONSTRUÍDA: Área para casas, construções, estradas e infra-estrutura.
TERRA DE BIODIVERSIDADE: Áreas de terra e água destinadas a preservação da biodiversidade.

De modo geral, sociedades altamente industrializadas, ou seus cidadãos, “usam” mais espaços do que os membros de culturas ou sociedades menos industrializadas. Suas pegadas são maiores, ao utilizarem recursos de todas as partes do mundo, afetam locais cada vez mais distantes, explorando essas áreas ou causando impactos por conta da geração de resíduos. Como a produção de bens e consumo tem aumentado significamente, o espaço físico terrestre disponível já não é suficiente para nos sustentar no elevado padrão atual. Para assegurar a existência das condições favoráveis à vida precisamos viver de acordo com a “capacidade” do planeta, ou seja, de acordo com o que a Terra pode fornecer e não com o que gostaríamos que ela fornecesse. Avaliar até que ponto o nosso impacto já ultrapassou o limite é essencial, pois só assim poderemos saber se vivemos de forma sustentável.

Seu estilo de vida diz tudo

Água
Todos os dias você escova os dentes, toma banho, lava as mãos, faz comida, lava a louça e a roupa, utiliza a descarga. Você já pensou o quanto tudo isso consome de água por dia? Para passar das conjecturas de dados, verifique em sua conta o total de metros cúbicos mensais e divida esse valor por 30 dias e pelo numero de pessoas que moram na sua casa. Assim, você terá a sua média individual diária calculada. Somo hoje 6 milhões de habitantes no planeta, com um consumo médio diário de 40 litros de água por pessoa. Um europeu gasta de 140 a 200 litros de água por dia, um norte-americano, de 200 a 250 litros, enquanto em algumas regiões da África há somente 15 litros de água disponíveis a cada dia para cada morador. Segundo os dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), o consumo médio diário por habitantes da cidade de São Paulo é de 200 litros de água, considerado altíssimo. Há grande desperdício, isto é, aos paulistanos deixam uma pegada ecológica excessiva, no que se refere a água. Certamente é possível melhorar muito!

Energia Elétrica

Diariamente, você faz funcionar luzes e eletrodomésticos como chuveiros, computadores, liquidificadores etc. Também ouve música ou notícias no radio, assiste programas de TV, lava e seca roupas em maquinas, usa elevadores, escadas rolantes, climatização de ambientes (ar condicionado ou aquecedores). Você já pensou em quanta Natureza é preciso “empregar” para fazer tudo isso funcionar? No Brasil a maior parte da energia elétrica consumida é produzida nas hidroelétricas, que exigem, para seu funcionamento, a construção de grandes barragens. Assim, com o aumento de consumo e a decorrente necessidade de produzir cada vez mais energia elétrica, torna-se necessário represar mais rios e inundar mais áreas, reduzindo as florestas, impactando a vida de milhares de outros seres vivos, retirando comunidades de suas terras e alterando os climas locais e regionais como aumento das superfícies de evaporação.

Alimentação
Atualmente, muitas pessoas comem mais do que o necessário. É o que mostram os altos índices de obesidade no mundo, principalmente nas nações mais desenvolvidas. Mas comer em grande quantidade não garante uma boa saúde, pelo contrário. A alimentação é um item muito importante da nossa qualidade de vida, mas, além disso, uma dieta natural e equilibrada é bastante favorável à preservação dos ambientes. O consumo de alimentos orgânicos ou naturais ajuda a diminuir o uso de agrotóxicos e o equilíbrio alimentar leva uma exploração menos irracional dos recursos do planeta, reduzindo, em muitos aspectos, nossas pegadas. Lembre-se de que não faltam alimentos no mundo e sim uma distribuição mais justa.

Consumo e Descarte

Quanto mais consumimos, mais lixo produzimos. Os resíduos naturais, ou matéria orgânica, podem ser inteiramente absorvidos e reutilizados pela Natureza, mas os tipos de resíduos que nossa civilização produz nos dias de hoje, especialmente os plásticos, não podem ser eliminados da mesma forma. Eles levam milhares de anos para se desfazer no ambiente. Você já mediu quanto você, sua família ou seu grupo de trabalho produzem lixo por dia? A média nos grandes centros urbanos é de 1kg por pessoa. É muito lixo! Mas você pode contribuir bastante se separar os materiais descartados.
Comece separando o lixo entre seco (reciclável) e o úmido (orgânico). Você irá observar que o peso do seco é pequeno, porem seu volume é enorme. Já o lixo úmido, ocupa menos espaço, porém é bastante pesado. Parte do lixo seco pode ser encaminhado para a reciclagem e o lixo orgânico, por sua vez, pode ser destinado a compostagem. Esta atitude pode ser difícil no inicio, pois é necessário envolver todos que estão à sua volta, mas se você tem vontade de fazer algo que realmente contribua com a preservação do nosso planeta, continue tentando e implante a coleta seletiva.

Transporte
Quanto você se desloca por dia? De que forma: carro, ônibus, trem, metro, a pé ou de bicicleta? A maioria dos meios de transporte que utilizamos em nosso cotidiano utilizam combustíveis fosseis, ou seja, não renováveis, Esta fonte energética que vem do petróleo, do carvão e do gás natural polui o ar, principalmente nos grandes centros urbanos, devido à enorme quantidade de automóveis.
Hoje em dia, a ciência e a sociedade civil têm pressionado o poder público e a iniciativa privada na busca de soluções para a poluição. Este enorme problema agrava o aquecimento global e ocasiona o aumento de doenças respiratórias. Por isso, um transporte sustentável tem de utilizar eficazmente a energia, ou seja, transportar o máximo de carga possível gastando o mínimo de combustível. Daí a importância de se utilizar o transporte coletivo e de oferecer carona sempre que possível. Andar de bicicleta e andar alguns trechos a pé, também ajuda a reduzir sua pegada.

A Benção da Mordomia para a Sustentabilidade

É uma grande benção ser reconhecido como bons Cristãos e Bons Mordomos Ecológicos.

Exercendo a mordomia ecológica, somos abençoados com Sustentabilidade e com um Planeta habitável. Desse modo, os filhos de nossos filhos nos agradecerão por nossa mordomia ecológica e por nossas atitudes responsáveis no uso e na conservação dos recursos naturais de que dispõe nosso Planeta.

Além disso, a mordomia ecológica possui também recompensas financeiras. Na manutenção de um estilo de vida menos consumista, cada um de nós poderá economizar recursos que podem ajudar ainda mais na Obra do Senhor na Terra, e desse modo, poderemos servir ainda mais!

Sustentabilidade pode também ser uma benção na nossa vida!


ILHÉUS TEVE A PRIMEIRA BIBLIOTECA DA BAHIA, E HOJE…

25 setembro, 2011

Na sua coluna publicada no Jornal A Tarde de 24.09.2011, com o título de “A primeira biblioteca da Bahia”, o antropólogo Luiz Mott, professor titular de Antropologia da UFBA, informa que

salvo erro, tenho o privilégio de ter descoberto no arquivo da Inquisição de Lisboa a primeira biblioteca particular da Bahia, quiçá do Brasil, datada de 1574, propriedade de Rafael Olivi, italiano de Florença morador na Fazenda São João, no termo de Ilhéus. Foi acusado ao Santo Ofício de ter dito uma série de proposições heréticas, do tipo “a religião fora inventada para sujeitar os povos e os milagres dos santos não passavam de artes mágicas”. Ao ser preso pelo vigário e alcaide de Ilhéus, encontraram 27 livros em sua fazenda! Entre eles obras religiosas como o Breviário, A Vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, no Tesouro dos Pobres; obras literárias, como Viagi Fallida, Rime de Monsenhor Pero Lobo Pirotichiria, Comédia de Sacrifícios e, sobretudo, livros científicos: La Nova Ciencia, de Nicoló Tertaglia, Aristóteles, Libelus de Tactus, Discorsi de Nicoló (Machiavel), Josefus Judaico e outros.”

Vale acrescentar que Luiz Carlos Villalta, no seu artigo Bibliotecas Privadas e Práticas de Leitura no Brasil Colonial, quando fala de estudos quantitativos da posse de livros no Brasil colônia, assim se refere a Rafael Olivi e à sua biblioteca “O maior proprietário de livros no século XVI, foi provavelmente Rafael Olivi, italiano estabelecido em Ilhéus, no atual estado da Bahia, dono de 27 volumes.”

Termina assim o oportuno artigo do Antropólogo Luiz Mott:

Estes livros de Rafael Olivi constituem a primeira biblioteca particular que se tem notícia em toda a história do Brasil. Biblioteca diversificada e atualizadíssima, incluindo obras recentemente editadas, como o livro do matemático Tartaglia, falecido em 1557. No século XVI, sobretudo no selvagem Brasil, livros eram raridades caríssimas, daí a importância dessa coleção. Onde foram parar tais preciosidades? O bibliófilo italiano felizmente foi absolvido pela Inquisição. Deo gratias

Pois é meus amigos, em 1574 a nossa Ilhéus já tinha uma biblioteca, a primeira da Bahia e talvez até do Brasil, e o maior proprietário de livros no século XVI. Hoje passados 437 anos, a única biblioteca que tínhamos foi destruída pela incúria dos nossos governantes.

Já que o poder público não faz, talvez a sociedade organizada de Ilhéus deva chamar para si esta responsabilidade. Dentro desta ótica, estou propondo aqui que comecemos, imediatamente, uma grande campanha para criarmos uma moderna Biblioteca Pública na nossa cidade, contando inclusive com uma Seção de Multimeios, onde possamos guardar um acervo audiovisual com partituras, filmes, gravações sonoras, fotografias e etc. Com certeza teremos muita gente para nos ajudar.

Proponho inclusive que a nossa blogosfera, com seu grande poder de penetração em todas as classes sociais, e os nossos órgãos de imprensa abracem está campanha, e que uma das nossas Agências de Publicidade trabalhem o assunto, criando um slogan convocando todos para a criação da nossa Biblioteca, para que todos os blogs,  jornais,  revistas e outros meios de comunicação, passem a divulgar nas suas páginas esta campanha que com certeza será vitoriosa.

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com


Lula regulamenta programa Um Computador por Aluno

23 julho, 2010

Decretos oficializam o Prouca e incentivos fiscais para oferta de PCs a escolas e municípios, com financiamento de R$ 600 milhões do BNDES.

Leia a matéria completa no IDGNow.


O Google é mesmo um “pai”.

8 julho, 2010

Às vezes por brincadeira, relembrando a expressão dos antigos que chamavam o dicionário de “pai dos burros”, ou a visão antiga do “Papai sabe tudo”, eu me refiro ao mecanismo de pesquisa do Google como o Pai Google, aquele que sabe todas as respostas, sejam quais forem as minhas perguntas.

O verbo googlar (perguntar ao Google) já caiu no uso dos internautas, especialmente dos mais curiosos, que querem saber tudo sobre qualquer coisa. O que muita gente não sabe (nem eu sabia até ler este artigo no IDGNow) é o quanto as pesquisas do Google podem ser refinadas e você ter os resultados desejados MUITO mais rápido.


“O Google é cheio de funções e truques úteis que poucos conhecem. Recentemente, estive com dois engenheiros da empresa, Jake Hubert e Dan Russell, aprendendo como obter mais do mecanismo de pesquisa que eles ajudam a desenvolver.“ diz a matéria do IDGNow.

Por exemplo: Filtrando a pesquisa por data:

“Agora, dê uma olhada no canto esquerdo. Há a opção “em qualquer data” selecionada. Abaixo, tem-se “mais recentes” e “últimos dois dias”. Escolha um desses dois e repita a pesquisa. Dessa vez, no mesmo espaço onde só havia três escolhas, surgem algumas outras, como “última semana”, “último ano” ou até “intervalo personalizado”.

Ou fazer cálculos e conversões:

“A calculadora Google é outro recurso escondido. Eficiente, ela soluciona de simples problemas aritméticos a questões de trigonometria. O melhor é que ela é grátis e você nunca a perderá de vista.

As conversões também são muito práticas. Pesquise “250 libras em quilos” ou “120 reais em dólar” e pronto: você terá o valor buscado na unidade de medida desejada.”

Para ver mais dicas úteis, leia todo o artigo. Mas não esqueça: para trabalhos escolares e acadêmicos, nada de copiar o que o Pai Google dá de presente. Além de crime contra o direito autoral é a certeza de garantir um ZERO ou até o cancelamento da matrícula num curso de faculdade pública.


2010, E AS NOVAS TECNOLOGIAS A CAMINHO DA CONSOLIDAÇÃO

30 dezembro, 2009

O Jornal A Tarde, em sua edição de 30.12.2009, traz excelente artigo de Thiago Fernandes sobre as novas tecnologias, abordando desde aspectos de softwares e especialmente das redes sociais, até aspectos de hardwares (Texto não disponível na internet).

Começa assim o artigo de Thiago:

“No mundo online, o ano de 2009 vai ficar marcado como aquele em que os brasileiro descobriram que existem outras redes sociais além do Orkut. A rede do Google viu o rápido crescimento dos concorrentes, apesar de nem de longe ter sua soberania ameaçada. Nada menos que 80% dos brasileiros que acessam a internet têm perfil no Orkut. São 28 milhões de usuários, contra 9 milhões do Twitter e 7,5 milhões do Facebook no país em dezembro.”

Vejam a seguir, as tendências que o artigo aponta para o próximo ano:

COMPUTAÇÃO EM NUVEM

Em 2010 a tendência é de crescimento da oferta e de uso dos serviços de processamento e armazenamento de informação na rede, a chamada computação em nuvem, já bastante difundida, mas que tende a crescer com a oferta de banda larga mais rápida e conectividade em qualquer lugar.

CELULAR COM INTERNET

A tendência e que os aparelhos com conexão à internet se tornem padrão. Associado à tendência de barateamento da conexão 3G, isso vai mudar a forma como as pessoas usam a internet no celular. Vão passar a ficar sempre conectados à rede, sempre disponíveis e aí, mais que nunca, falar no telefone será uma coisa secundária.

KINDLE

Depois da chegada ao Brasil em 2009 ainda não vai dar para falar em popularização do livro eletrônico, mas será mais comum vê-lo por aí. Ainda mais porque já existe uma tendência jurídica para enquadrá-lo na mesma legislação de importação de livros, o que o deixaria livre de impostos e cortaria o preço pela metade, chegando ao consumidor final na faixa de 500 reais.

Alex Castro preparou um artigo bastante útil para quem quer conhecer melhor o Kindle.

NETBOOKS

Outra tendência que vai se manter em 2010 é o crescimento da venda de netbooks – os notebooks pequenos, feitos para navegar na internet. O cenário vai ficar ainda mais interessante porque a Apple deve lançar um aparelho desse tipo ainda no começo do ano. O fato poderá redefinir a forma como as pessoas se relacionam com esse tecnologia, da mesma forma como ela fez com o celular quando lançou o iphone.

TV DIGITAL

Em 2010 as emissoras começam a testar a interatividade da TV digital, mas ainda não se sabe exatamente o que estará disponível. A expectativa é que com a Copa do Mundo estejam disponíveis opções como a escolha de ângulo da transmissão. Além de que o evento tradicionalmente estimula a venda de televisores. Será um grande impulso para a popularização da transmissão de TV digital.

POPULARIZAÇÃO DO 3G

As operadoras estão programando grandes investimentos na melhoria da rede 3G, o que deve fazer com que essa seja uma opção cada vez mais viável para concorrer com as redes ADSL (Velox e GVT). Ainda mais porque a tendência é que continue a migração das pessoas do desktop para o notebook, o que incentiva a busca por conexões móveis, que se possa usar não só em casa, mas em qualquer outro lugar.

REDES SOCIAIS

Se 2009 foi o ano em que os brasileiros descobriram outras redes sociais além do Orkut, 2010 será um ano em que as redes vão se integrar ainda mais. Essa é uma tendência em todas elas, que investem cada vez mais em facilitar a vida dos usuários. As fotos que se publica no Flickr vão estar visíveis para seus amigos no Orkut, as atualizações do Twitter vão aparecer no Facebook. Cada vez mais fará menos sentido pensar em cada um deles individualmente, mas vamos caminhando para entender a vida online como uma coisa única.


Palestra sobre Software Livre na UESC

22 maio, 2009

Acontece dia 1° de junho, às 14h no Auditório Jorge Amado, na Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, a palestra “Software Livre na Educação: Um caminho para o futuro” com Jon Maddog Hall, Diretor-Executivo da Linux International.

Maiores informações sobre o evento coordenado por Isamar Maia e pelo Prof. Carlos Pereira, através do e-mail carlao2005@gmail.com

Captura de tela inteira 2252009 181430.bmp