O bom do blog

14 outubro, 2008

Ou o Bem que o Blog Faz. Poderia ser esse o título do artigo publicado no Jornalirismo.

Fiquei surpresa por haver um relatório (Technorati) que mostrasse cientificamente o que eu SEI por experiência própria.

Foram entrevistados 1,2 mil blogueiros de 66 países, e se comprovou com dados o que já se sabia na prática: “que o ato de blogar faz muito bem ao coração, embora não necessariamente ao bolso.”

“Segundo o estudo do Technorati, que é a principal biblioteca da blogosfera mundial, os blogs serviram para tornar seus autores referência em suas comunidades, sendo reconhecidos e convidados para mesas-redondas, participações em rádios e tevês e autoria de textos na imprensa tradicional. Esse foi um fenômeno verificado com cerca dos 20% dos blogueiros.
Isso quer dizer que o blog foi o veículo das habilidades e capacidade empreendedora de seu autor para o mundo. Uma maneira de se fazer visto.

Satisfação pessoal

Um blogueiro é, além de um ser em agonia e euforia, um sujeito satisfeito de si: é porque a principal métrica de seu sucesso é a satisfação muito pessoal que ele sente. Seu blog é fonte de contentamento, acima de tudo. Setenta e cinco por cento dos entrevistados entraram nessa categoria, a dos felizes.
Depois vêm outras formas de avaliar o trabalho, numéricas, 58% consideram também o número de posts ou de comentários feitos e 53% levam em conta o número de visitantes únicos. Entretanto a auto-estima não cai com a audiência, não.

Mas por que estariam deprimidos, os blogueiros, se 67% deles fizeram novos amigos, gente que jamais tinham visto, por causa exatamente do blog? A atividade de editor de si mesmos, Robertos Marinhos muito particulares e generosos, levou a um envolvimento e a um aprofundamento maior com suas áreas de interesse, com resultado direto: 60% dos entrevistados experimentaram esse estímulo.

Os blogs foram também o empurrãozinho que faltava para seus autores, conectados apenas on-line com seus leitores ou parceiros de caminho, se conectassem diretamente, em pessoa. Foi o que aconteceu com praticamente metade dos ouvidos pela pesquisa. Prova de que os blogs fazem amigos, sim, até de carne e osso.”

Blogar, seja por motivo pessoal ou corporativo, é ainda um ato solitário. De acordo com o Technorati, 78% dos blogueiros produzem sozinhos. Outros 13% contam com ajuda colaborativa gratuita e apenas 9% pagam equipe.

Blogueiros são trabalhadores aplicados: 21% dos ouvidos dedicam de cinco a dez horas semanais ao seu blog; 12% se atiram ao blog de dez a vinte horas por semana; e outros 12% trabalham com fúria por mais de vinte horas per week.

Bem, já deu pra perceber que blogar faz bem. Seja qual for o motivo do start de um blog, ele traz em si a catarse dos sentimentos, quando é um blog pessoal, ou a paixão por determinado assunto, quando é específico. Mas existe também o lado corporativo.

O artigo do Jornalirismo continua:

“Estão falando da sua marca

O Estado da Blogosfera 2008 também mandou um recado muito claro a todas as marcas do mundo, estejam elas preocupadas e presentes ou não na blogosfera e nas redes sociais virtuais: mais de 80% dos blogueiros estão falando de produtos e serviços em seus blogs, expressando suas opiniões (negativas ou positivas) sobre eles. Trinta e sete por cento dos entrevistados revelaram que são comentadores freqüentes de marcas.

Um dos assuntos favoritos para posts é exatamente o testemunho das experiências de seus autores como consumidores e a forma como são atendidos. Este é um tema que vai aparecer nos posts de 82% dos blogs, em 34% deles com freqüência.

Daí a preocupação das marcas, também expressa na pesquisa, e a conseqüente busca de aproximação com esse público. Segundo o Technorati, um terço dos blogueiros já foi sondado por marcas, para que se tornasse advogado delas. A maioria dos blogueiros, de acordo com o estudo, já conta com publicidade em suas páginas, embora com renda média pequena (cerca de US$ 2 mil por ano).”

E aí, está esperando o quê para ter o seu blog? E sua empresa, o que está fazendo, que ainda não começou a usar este canal, cuja relação custo/benefício não deixa margem de dúvidas de que vale a pena?

Se for falta de incentivo… não é mais desculpa. Falta de assessoria também não. A Consultic está aqui para isso mesmo. Faça contato: ilheus.consultic@gmail.com


Abrindo a mente para o blog empresarial

28 agosto, 2008

Encontrei uma opinião interessante de um “blogueiro profissional”, que casa direitinho com o que a Consultic vem pensando sobre blogs empresariais. Às vezes encontramos empresários que focam apenas no lucro imediato, e não no firmar a sua marca, interagir com seu cliente, tornar sua empresa algo “familiar” a seu público.  E ignorar isto é “perder o trem da história”,  como Gilberto Gil cantou em sua “Banda Larga Cordel”, [que vai ser tema de um outro post].

Mas vou deixar o Luiz Morcelli falar.

Blogs nas empresas

“Nada como um blog para falar da sua importância na construção de uma marca e no relacionamento com os seus clientes. Ainda mais eu, que sou blogueiro profissional e vivo disso no Blog dos Novos Negócios e no meu AdBudget. O blog antes que era somente um diário on-line das pessoas para falar de sua vida, assuntos preferidos e colocar fotos, agora faz parte do dia a dia das empresas.

Cada vez é maior o número de empresas que utilizam os blogs com a função de ficar mais perto do seu público, para ajudar na construção da marca e, tudo isso para criar uma certa pessoalidade no universo corporativo e consequentemente se aproveitar do efeito multiplicador dos blogs.

Indo totalmente de encontro aos sites, os blogs são utilizados para as empresas abrirem um diálogo com o público, fugindo totalmente das vendas. Outras corporações utilizam os blogs como um canal de endomarketing, como forma de relacionar a empresa e seus funcionários.

Para se ter sucesso com um blog, a linguagem é fundamental em conjunto com um planejamento e a vontade de criar emoção nesse novo ambiente que a empresa está colocando na internet.

Assim:
– Um blog não pode parecer com um catálogo de vendas.
– A linguagem tem de ser leve sempre.
– O blog das empresas tem de ser pessoal e tem que ter emoção para conseguir uma certa descontração.
-E é preciso ter regras de conduta e alguém que faça a moderação dos assuntos e textos
.”

E o comentário de um outro blogueiro, o Júlio, completa:

“As portas vão se abrir (para os blogueiros) quando as parcerias se estenderem aos blogs que ofereçam uma comunicação diferenciada. A idéia é que a empresa nao produza o blog e sim seja parceria de um blog que ofereça um diferencial e enriqueça a linguagem dessa empresa. O blog está dentro dela gerando comunicação.

Assim a comunicação fica mais livre, mais pela comunicação, não pela venda, não só nos assuntos da empresa, porém potencializando a marca. (Esse conceito imagino dentro de uma empresa comercial, que geralmente direciona sua comunicação só para vender seus produtos).

Acho que assim o profissional e a criatividade vão brilhar mais. Continuaremos blogueiros e livres, porém pagos.”

Tirado daqui.

Então, é isso. O blog empresarial precisa de uma terceira pessoa fazendo o link empresa-cliente. Pelo menos de início. Até se detectar na própria empresa alguém que demonstre interesse e no mínimo desejo de aprender, para assumir a função.



Por que ter / ler blogs corporativos?

25 agosto, 2008

Mesmo que você não seja um empresário, este artigo pode lhe ser útil. Sim, porque ou você é “produtor” ou “consumidor”. Então, vindo por qualquer das “pontas” você pode aproveitar esta nova ferramenta, que são os blogs empresariais.

O Blog de uma empresa é diferente do site dela. Ou pelo menos deve ser, se quiser atender à proposta de comunicação direta com o cliente.

Coloque-se primeiro do “lado de fora”. Você adquiriu um produto (ou serviço) e não ficou satisfeito (com o desempenho, com a durabilidade, ou mesmo com a aparência, que não era a mesma do que foi anunciado). Você entra no site da empresa e depois de procurar o link “fale conosco” (que estava escondidinho no rodapé da página, misturado à assinatura do webmaster), você percebe que precisa deixar todos os seus dados de identificação e escolher um “assunto” para enviar a mensagem. Nenhum dos “assuntos” corresponde à sua insatisfação. Você resolve mesmo assim enviar a mensagem. Se ela algum dia chegou ao seu destino, se foi lida com atenção ou se será respondida… você jamais saberá.

(Eu passei por isso no site do Mc Donalds, quando fiz uma reclamação por ter sido grosseiramente tratada numa de suas lojas. Recebi uma resposta automática de que meu e-mail tinha sido recebido e seria analisado. Nunca mais tive notícias do Ronald e nunca mais voltei a nenhuma de suas lanchonetes.)

Outra opção é encontrar o blog desta empresa. Ler o que um de seus funcionários (ou vários deles) escreve (m). Poder comentar, reclamar, elogiar, sugerir, sabendo que certamente virá uma resposta, ali no blog mesmo, na caixinha de comentários, ou se for algo mais sério, no seu e-mail. Saber exatamente com quem você está falando. Não precisar deixar nada além do seu e-mail de contato. Diz se não há uma enorme diferença?

Agora, imagine-se como o empresário. Pequeno, médio ou grande. Quer saber o que seus clientes pensam de sua empresa? Qual o grau de satisfação? O que a nova campanha publicitária provocou? Qual o resultado das mudanças que você decidiu fazer? Tudo pode ser quantificado via visitas e comentários do blog. Desde que você escreva na linguagem do seu cliente, fale sobre assuntos que o interessem e seja cuidadoso em dar retorno às perguntas e opiniões dele… BINGO! O blog é sua grande ferramenta de avaliação externa. Externa, apenas? Não, interna também. Um blog corporativo pode servir para interação entre funcionários de sua empresa e a direção.

Mas não apenas para avaliação. O blog pode conquistar novos clientes. Através de mecanismos de buscas como o Google, o Yahoo ou o Altavista, clientes potenciais podem ir parar lá sem ao menos imaginarem. E se encontrarem textos inteligentes e atraentes… certamente voltarão. E assim irá se formando uma nova rede de interesses.

Está disposto a tentar? Porque a Consultic está disposta a lhe ajudar!

O artigo abaixo traz exemplos e opiniões de especialistas sobre o assunto. Não deixe de ler.


Blogs corporativos: especialistas discutem uso e estratégias

25 agosto, 2008

Escola de Comunicação

“Quem ainda define blog como “simples diário adolescente” precisa conhecer o meio empresarial. A agilidade, interatividade e informalidade transformou a ferramenta num mecanismo de relacionamento para pequenas, médias e grandes empresas.

Corporações e organizações como Tecnisa, Claro, Petrobrás, Embrapa, Google, entre outras, mantêm blogs. A ferramenta estreita o relacionamento com o público, o que pode expor a empresa a sugestões e elogios, mas também a críticas.

As empresas que acabam adotando a ferramenta estão mais próximas ao ambiente da web e às novas tecnologias. Quem não tem intimidade com o meio digital acaba procurando por empresas que descobriram este novo mercado: atender essa necessidade específica de comunicação por meio de blogs. “Muitas empresas adotam o blog para serem mais bem vistas no recurso de busca do Google”, afirma Vinícius Braga, responsável pelo atendimento e desenvolvimento do Blog Empresa, plataforma desenvolvida pela BielSystems.

Exposição no mercado
A Tecnisa foi a primeira empresa do ramo imobiliário brasileiro a adotar um blog corporativo. Há dois anos ela insere conteúdo, recebe comentários e mantém esse tipo de relacionamento com o mercado. “Os clientes postam no blog e nós passamos para a área de marketing. Isso nos ajuda a melhorar processos, funciona como uma governança e ouvidoria. Além da transparência, o que mostra que não temos medo dos nossos erros”, diz Roberto Loureiro, e-business da Tecnisa.

“A abertura, transparência e participação são pontos positivos dos blogs, mas também há pontos negativos como a exposição e vulnerabilidade a criticas, que, de certo modo, pode ser uma oportunidade”, esclarece Carolina Franzon Terra, autora do livro Blogs Corporativos, modismo ou tendência?

Para Thiane Loureiro, gerente digital da Edelman, o ambiente corporativo deve estar preparado para essa exposição. “A empresa tem que estar preparada para ouvir o que quer e o que não quer, deve estar preparada para se expor”, afirma.

Os blogs corporativos são usados no ambiente interno e externo. Algumas empresas também monitoram blogs do mercado, assim como fazem com a maioria dos veículos de comunicação, no chamado clipping de mídia.

“Além de postar, monitorar comentários, responder, conversar e colher os primeiros benefícios, o blogueiro e a empresa precisam saber o que acontece com outros blogs corporativos, com concorrentes e assim por diante. A monitoração da blogosfera é mandatória”, adverte Fábio Cipriani, autor do livro Blog Corporativo.

Resistência à novidade
De acordo com o levantamento Cipriani há mais de 100 blogs corporativos no País, 81 deles de pequenas e médias empresas e 27 de grandes corporações.

Ainda assim, em relação ao mundo corporativo, o número é pequeno. A conclusão é de que as empresas ainda têm receio ou pouca familiaridade com a novidade. “A idéia de blog passa um pouco de receio da empresa se expor demais. No mundo inteiro ainda há resistência para se abrir para esse mundo dos blogs, não só no Brasil”, diz Thiane.

Responsável pelo relacionamento com redes sociais, Roberto Loureiro conta que houve resistência diante da idéia. “No começo foi um pouco difícil, tivemos que convencer toda a diretoria. Se isso é meio inovador hoje, imagine há dois anos atrás”, relembra. Além disso, a empresa também utiliza o Twitter, neste caso para divulgar os lançamentos imobiliários.

“Essa resistência vai ter que mudar. Se as empresas não entrarem no campo para jogar, outros blogs vão falar dela e ela perde a voz na blogosfera”, alerta Vinícius Braga.

Conteúdo informal ou release?
Apesar de algumas empresas já adotarem este recurso, uma pesquisa realizada pela consultoria norte-americana Forrester Research, divulgada em junho deste ano, aponta que muitos blogs corporativos têm baixo índice de leitura.

O resultado, de acordo com a pesquisa, se deve ao fato da maioria dos blogs trazer conteúdo formal da visão de executivos e do mercado, além de muitos releases com poucas alterações. A pesquisa indica que uma boa solução seria a criação de conteúdos multimídia, mais informais, com mais imagens e vídeos.

“Muitos blogs acabam postando conteúdo que mais parece release. As empresas precisam estar preparadas para atingir o seu público”, afirma Thiane.

Para Cipriani, há normas básicas para o sucesso de blog. “Se o blog não segue algumas regras mínimas, e não traz assuntos de interesse dos seus clientes ou que os coloque com uma certa vantagem sobre os que não possuem conhecimento sobre esse blog, as chances de trazer retorno significativo são pequenas”, analisa.

Carolina sugere agilidade e interação no relacionamento. “As empresas devem responder de forma rápida, dar feedback, interagir com os usuários e se preocupar muito com a atualização. Não se pode esquecer de trabalhar a ferramenta”, aconselha.”

Texto retirado do Portal Comunique-se.


Pra começo de conversa…

22 agosto, 2008

Este é o primeiro post do blog corporativo da Consultic. Pra saber mais sobre a empresa, clique na guia “Consultic” aí em cima. Mas é no dia-a-dia deste blog que você vai nos conhecer melhor.

Este é um espaço não somente para oferta de nossos serviços de Consultoria e Assessoria em TI e Comunicação, mas, principalmente, um canal de comunicação sobre  o que desejamos fazer, o que efetivamente fazemos, e o que ainda podemos fazer. E com você participando, nossas chances de fazermos melhor, crescem bastante. 😉

A proposta é conhecer melhor o conceito de Redes Sociais, o que é um BLOG e como pode ser bem aproveitado, seja qual for a sua realidade: um blog pessoal ou empresarial, específico sobre um assunto ou amplo e aberto, técnico ou descontraído, sério ou divertido… mas em qualquer dessas situações, um lugar de interação.

Interação com seus clientes (atuais e potenciais) se você é um empresário (de qualquer tamanho); interação com outras pessoas que tenham algo em comum com você, sejam elas seus amigos ou (ainda) não; interação com pessoas com as quais você jamais teria qualquer contato, mas por conta de um clique num link qualquer espalhado pela net, chegou até você, até o seu blog; interação com quem vai lhe ensinar algo e com quem vai aprender com você. E essa lista é infinita.

Então, se você chegou até aqui por indicação de alguém ou por um convite nosso, seja bem vindo, e volte. Comente, pergunte, inclua nos seus favoritos, assine os feeds, cadastre para receber por e-mail… Porque esta é “a” oportunidade  de você se jogar de cabeça na blogosfera. E em tudo o mais que as redes sociais podem lhe oferecer de bom. Estamos aqui pra lhe ajudar a descobrir.

Um abraço,

Equipe Consultic.