ILHÉUS: CIDADE DIGITAL. Um sonho?

29 agosto, 2010

Durante este dois anos de existência do Blog da Consultic, um dos assuntos recorrentes aqui foi CIDADE DIGITAL, como pode ser visto se acessarmos a etiqueta CIDADE DIGITAL .

Apesar disto, INFELIZMENTE, a nossa querida Ilhéus não avançou ABSOLUTAMENTE nada neste período.

Mas, quem sabe, um dia…

De qualquer forma continuaremos a nossa cruzada e disponibilizamos hoje aqui o excelente trabalho Ranking Motorola de Cidades Digitais, estudo que faz, através de diferentes tipos de indicadores, uma extensa avaliação para conhecer os níveis de digitalização de municípios da América Latina.

Vale a pena ler.

E quem sabe, um dia… quem sabe?…

Carlos da Silva Mascarenhas

Analista de Sistemas e Ilhéense

carlos.consultic@gmail.com

Anúncios

ILHÉUS DIGITAL, com certeza é possível.

25 novembro, 2009

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro estará inaugurando no dia 02 de dezembro, a primeira fase do Programa Rio Estado Digital, que disponibilizará sinal gratuito de internet sem fio (WiFi), inicialmente para os municípios de São João do Meriti, Caxias, Belford Roxo, Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis, na Baixada Fluminense, beneficiando cerca de 1,7 milhões de pessoas.

Para captar o sinal as pessoas precisam instalar uma antena nas suas casas, da mesma maneira que se faz para captar sinal de televisão. A antena para captar o sinal deve ser do tipo 24dBi, com mastro e suporte de montagem. Também é necessário comprar um fixador para o mastro da antena, um adaptador USB com saída para antena externa e um cabo com conectores específicos para USB e para antena externa. O custo total desses equipamentos é de até R$ 150.

Além disso, foi montado um site (www.baixadadigitalrj.com.br) com todas as informações sobre o programa e a localização das torres de transmissão do sinal de internet.

Enquanto tudo isto acontece na baixada fluminense, aqui em Ilhéus, que sedia um Pólo de Informática e Eletroeletrônica que de acordo com o SINEC produz 15% dos computadores comercializados no Brasil, nem as nossas escolas, municipais e estaduais, têm internet, e a nossa Prefeitura, nem uma home Page decente tem, que dirá oferecer aos munícipes serviços que utilizem as novas tecnologias da informação.

Pois é, temos um Pólo de Informática com mais de 50 Empresas instaladas na nossa cidade, temos uma Universidade Estadual que conta com pesquisadores altamente especializados nas TICs, temos o CEPEDI – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Informática e Eletroeletrônica, uma referência nacional na área, mas continuamos na pré-história em Tecnologia da Informação e Comunicação.

Acredito que esteja na hora de mudarmos esta situação. E já que temos as condições técnicas e até financeiras, pois as Empresas dispõem de verbas para investimentos em pesquisa e desenvolvimento que talvez possam ser utilizadas em projetos desta natureza, só nos faltam a vontade e ações políticas.

Dito isto, faço daqui um apelo ao SINEC – Sindicato das Empresas de Informática e Eletroeletrônica de Ilhéus, através do seu Presidente Gentil Pires e do seu Vice-Presidente, Paulo Machado, para que juntamente com as Empresas de Informática aqui instaladas e com o Governo Estadual e também o Governo Municipal, liderem um Projeto no sentido de dotar a nossa cidade de uma rede gratuita de internet, primeiro passo para que venhamos a tornar Ilhéus em uma Cidade Digital.

Serão enormes os benefícios para a população da nossa cidade e para as nossas atividades econômicas e governamentais, a implantação de um Projeto de Cidade Digital, e entre os principais benefícios devemos evidenciar:

  1. Melhoria da qualidade de vida da população e do nível cultural e científico do seu povo;
  2. Melhoria na qualidade dos serviços públicos;
  3. Aumento na geração de emprego e renda;
  4. Aumento da procura de bens de informática por parte da população local;
  5. Atração de novas indústrias para o nosso Pólo, e principalmente;
  6. Democratização da informação e das oportunidades para crescimento profissional.

A sociedade ilheense e principalmente a sua juventude esperam que o SINEC e as Empresas do nosso Pólo, devidamente articulados com as nossas instâncias governamentais dêem a nossa cidade este valioso presente.

Carlos da Silva Mascarenhas, Analista de Sistemas e Ilhéense

mascarenhas@bitway.com.br


Ainda sobre as Cidades Digitais

3 novembro, 2008

Apesar da crise, de acordo com consenso entre os especialistas que participaram da FUTURECOM 2008, realizada de 27 a 30 de outubro, em São Paulo, os investimentos em Cidades Digitais não deverão diminuir. Vejam a seguir artigo publicado no Guia das Cidades Digitais www.guiadascidadesdigitais.com.br .

Na nossa cidade, pela existência de um Pólo de Informática e Eletroeletrônica e pela disponibilidade de grande volume de recursos para investimentos em pesquisa e desenvolvimento, temos condições excepcionais para implantarmos aqui, a curto/médio prazo, um Projeto de Cidade Digital. Projeto este que poderá ter um grande efeito multiplicador, aumentando a renda local, gerando emprego e promovendo inclusão social e digital.

Vamos esperar que o nosso Prefeito incentive a Área de Planejamento da Prefeitura de Ilhéus, a colocar entre as suas prioridades a transformação da nossa cidade em uma Cidade Digital.

Crise não deverá frear investimentos em projetos de Cidades Digitais

Por Maria Eduarda Mattar

A expansão da banda larga é inevitável, e a transmissão de dados é um caminho sem volta também para os órgãos públicos. A crise que vem trepidando bolsas e agitando governos pode até reduzir um pouco o ritmo de investimentos. Mas está longe de frear completamente os processos de instalação e implementação de redes de transmissão de dados, de banda larga para suportar serviços públicos e, em última instância, de Cidades Digitais.

Essa é a noção geral de especialistas ligados ao tema que na última semana estiveram presentes no Futurecom 2008, evento de telecomunicações e TI realizado em São Paulo (SP) de 27 a 30 de outubro. “A transmissão de dados é uma necessidade, atualmente, como foi telefonia fixa em outros tempos. A expansão na transmissão de dados vai acontecer — na crise violenta, média ou branda”, acredita Emília Maria Ribeiro, conselheira da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). “O país que investe em tecnologia e avança nesse sentido, avança como um todo”, completa.

César Taurion, da IBM, concorda e lembra que, especificamente no setor público, as novas tecnologias já são condição básica para inúmeros serviços. Segundo ele, as atividades de governo eletrônico conseguem reduzir os custos e o tempo das transações do cidadão com o setor público, mudando a sua relação com o governo. “O uso das tecnologias da informação e de banda larga é tão significativo hoje para a nossa sociedade quanto saneamento básico. Então, é inexorável que continue nessa direção. Apenas a dúvida, em relação à crise, é qual vai ser a redução, ou não, do ritmo de investimento”, diz.


“Banda larga é obsessão para o governo federal”

Se depender, entretanto, da vontade de representantes do governo federal, o ritmo não vai diminuir. Marcelo Bechara, consultor jurídico do Ministério das Comunicações (Minicom) — que tem em seu cronograma para o ano que vem a realização de uma licitação para o estabelecimento de 160 Cidades Digitais — lembra que essa não é a primeira, nem será a última crise econômica por que passam os países. E argumenta que, como aconteceu na década de 70 no Brasil, quando, durante uma crise econômica, as tecnologias teriam sido responsáveis por ganhos efetivos de produtividade, a turbulência atual pode ser um momento de ajuste.

Esse ajuste poderia incluir busca e criação de alternativas e até parcerias entre governo e a iniciativa privada, tal qual aconteceu no início de 2008, quando conversações entre Anatel, Minicom e concessionárias de telecomunicações resultaram na troca da meta de instalação de Postos de Serviços Telefônicos (PSTs) pela de implementação de backhaul de banda larga até a porta de todos os municípios.

Bechara ressalta que, independentemente de crise, o governo federal vem adotando a banda larga como prioridade. “Ele entende que a banda larga não é política de governo, e sim de Estado”, define. Segundo o consultor jurídico, o Minicom incorporou o papel de “viabializar, através de políticas públicas, que a banda larga seja uma realidade”, não só porque sustenta os processos de comunicação e de acesso à informação, mas também porque “é impensável a prestação de diversos serviços sem ter uma plataforma sustentando isso na comunicação de alta velocidade”, nas palavras de Bechara. “A banda larga é, sim, uma obsessão”, resume.

Para o consultor Newton Scartezini, a redução na arrecadação de impostos como resultado final de uma reação em cadeia — menos atividades econômica, menos consumo, menos emprego e, finalmente, menos arrecadação — pode ter alguma repercussão nos investimentos de prefeituras.

Segundo ele, não dá para saber ainda o quanto vai diminuir o ritmo de investimentos em projetos do tipo. E defende que essa diminuição seria ilógica, pois as tecnologias de informação e comunicação acabam sendo uma ferramenta de produtividade para a própria prefeitura. “Então, tem um investimento agora, mas ele retorna muito rápido, pela redução de custo”, comenta. “E o pior corte que se pode fazer é o de investimento. Mas pode acabar acontecendo”,  reflete.

Para Scartezini, alguns programas e projetos que já estavam engatilhados deverão sofrer conseqüências brandas. Ele lembra que o orçamento público é autorizativo, não obrigatório. Com isso, verbas já aprovadas para determinados programas, editais, etc. poderiam ser seguradas. Mas isso não impediria ou cancelaria atividades. “Pode diminuir, não anular. Até porque, politicamente, é muito ruim cancelar um programa”, destaca.

Data: 31 de outubro de 2008


"Paulo Afonso Digital" ganha mais um prêmio

11 outubro, 2008

“O projeto Paulo Afonso Digital, desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Paulo Afonso, foi contemplado com o Prêmio TI & Governo, na categoria e-Democracia e será publicado no Anuário TI & Governo 2008, a ser lançado pela Plano Editorial, responsável também pela publicação do Informática Hoje, do Telecom e da newsletter TI & Governo, entre outros títulos.

A comissão julgadora que avaliou os projetos foi integrada por Rogério Santanna (Secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento); José Luis Bizelli (do Departamento de Antropologia Política e Filosofia da UNESP), Norberto Torres (professor, integrante do Tec-Gov da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo), Vanda Scartezini (da Pólo Consultores Associados), Florencia Ferrer (da Florencia Ferrer       e-stratégia Pública); Juarez Quadros do Nascimento (da Orion Consultores Associados), e Armando Dal Colletto (diretor da Business School São Paulo).

Os projetos foram classificados em três categorias: e-Administração Pública, e-Serviços Públicos e e-Democracia. Na avaliação, foram considerados critérios como caráter inovador, relevância social e envolvimento de recursos humanos.”

Trecho da carta de  Wilson Moherdaui,  Diretor da Plano Editorial enviada a Verlânio Galindo de Menezes – Responsável pelo Projeto Paulo Afonso Digital.

PA digital - e-gov

Como podemos ver, o projeto além de ser um sucesso de fato, no que se propôs, está gerando cada vez mais visibilidade à cidade, que tem grande potencial turístico e ainda é sub-explorado.

Ilhéus precisa caminhar por essa mesma estrada, e, conforme contato com os responsáveis pelo Projeto, estamos agendando uma visita às suas instalações para melhor conhecimento de todo o processo.

Parabéns à prefeitura de Paulo Afonso e especialmente aos homens de visão que tiveram coragem e raça para levar adiante um projeto que poderia parecer impossível.


Paulo Afonso Digital – Palestra na SINFORM

10 outubro, 2008

Excelente a palestra sobre o Projeto de Cidade Digital de Paulo Afonso, apresentada por Verlânio Jefferson e Mardo David durante a SINFORM, evento paralelo à INFOILHEUS 2008.

09-10-08 016

Não sei se por problemas de divulgação, mas a verdade é que tivemos um pequeno público e sentimos falta, principalmente, de representantes da Prefeitura Municipal e da Câmara de Vereadores. O público da palestra foi formado em sua maioria por alunos da UESC.

A seguir, algumas informações transmitidas durante a palestra, que acreditamos seja importante que divulguemos aqui:

1. BENEFÍCIOS GERADOS PELO PROJETO

– Modernização da máquina pública, com economia para o município;

– Democratização no acesso a serviços e informações de governo;

– Democratização e universalização no acesso às comunicações;

– Desenvolvimento dos negócios eletrônicos;

– Aumento na qualidade e velocidade de acesso aos dados;

– Aumento na qualidade e velocidade na prestação de serviços aos cidadãos;

– Desburocratização dos serviços;

– Aumento na segurança dos dados e transações;

– Maior controle do usuário no uso dos serviços;

– Aumento na Transparência na Gestão Pública;

– Estreitamento da relação entre o cidadão e o Governo;

– Promoção do direito à informação de interesse particular;

– Promoção do direito ao próprio tempo;

– Promoção à cidadania.

2. INVESTIMENTO TOTAL FEITO PELA PREFEITURA DE PAULO AFONSO

R$ 3.900.000,00 (recursos próprios) em 4(quatro) anos, o que representou uma média mensal de R$ 81.250,00, sendo que do investimento total, R$ 550.000,00 foram gastos em Infraestrutura de Comunicação, com um custo de R$ 5,54 por habitante.

3. SERVIÇOS OFERECIDOS

– SERVIÇOS PARA O CIDADÃO

. Boletim Escolar

. Concurso Público

. Taxas de Requerimento

. Trâmites de Processos

. CREDIBAHIA

– SERVIÇOS PARA EMPRESAS

. Licitações

. TFF

. Consulta de Pagamento

. ISS Homologado

. ISS Substituição Tributária

. Trâmite de Processos

. Certidão Negativa de Débitos

. Simples Nacional

– PROFISSIONAIS AUTÔNOMOS

. TFF

. ISS Autônomo

. Trâmite de Processos

. Certidão Negativa de Débitos

– IMÓVEIS

. IPTU

. Trâmite de Processos

. Certidão Negativa de Débitos

SERVIDORES MUNICIPAIS

. Consulta Contra-cheque

. Ficha Financeira

. Informe de Rendimentos

. Trâmite de Processos

– CONTAS PÚBLICAS

– LEIS E CÓDIGOS

Após a palestra, tivemos a oportunidade de conversar longamente com Verlânio e Mardo, que falaram da possibilidade concreta de que seja celebrado um acordo de cooperação técnica entre a Prefeitura de Paulo Afonso e a Prefeitura de Ilhéus. Com este acordo poderemos obter informações completas sobre o Projeto, e até alguns softwares por eles desenvolvidos, possibilitando que venhamos a queimar etapas e ter grande economia na implementação de um Projeto de Cidade Digital para Ilhéus.

09-10-08 017

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com


Carta a Newton Lima (Prefeito (re)eleito de Ilhéus – BA)

8 outubro, 2008

A Diretora da Sucursal da Revista Época no Rio de Janeiro, Ruth Aquino, em sua coluna “Nossa Antena” da edição 542 de 06.10.2008, assim define o seu candidato a prefeito do Rio:

“Meu candidato é ético, inteligente, bem informado, coerente, preparado, honesto, sério, cordato, corajoso, positivo e jamais faz promessas mirabolantes. Não é arrogante nem demagogo, o que o livra de qualquer tentação de autoritarismo. Está muitos níveis acima do mar de lama que vem sendo associado à política corriqueira e miúda no Brasil. Valoriza o trabalho de equipe, o que é indispensável a um bom administrador. Não é dado a sorrisos falsos nem a efeitos especiais. Se existe algo que o tira da serenidade, é a cara feia da corrupção.”

Pois é Newton, ao dar-lhe os parabéns pela sua maiúscula vitória, digo-lhe que, como cidadão ilheense, gostaria que você, agora como nosso Prefeito eleito, se mirasse neste modelo de Prefeito desenhado pela Ruth e assim fosse durante os próximos 4(quatro) anos em que vai governar a nossa cidade.

Por outro lado, gostaria que você estudasse a possibilidade de incluir no seu Plano de Governo, 3(três) projetos que acredito sejam de fundamental importância para o desenvolvimento equilibrado do nosso município:

1. Transformar Ilhéus numa Cidade Digital, tomando como exemplo o que vem sendo feito em algumas cidades brasileiras, como Paulo Afonso na Bahia e outras, e dentro das seguintes diretrizes seguidas por estas cidades:

– Modernização da administração pública, com a integração, via computador, de todas as entidades diretas e indiretas; integração das estruturas tributária, financeira e administrativa; aumento da arrecadação tributária; melhoria da fiscalização; acesso mais imediato às informações e serviços; comunicação via VoIP (voz sobre o Protocolo de Internet).

– Instalação de telecentros a custos reduzidos; disseminação de terminais para consultas e reclamações por parte dos cidadãos; acesso à Internet para os cidadãos, com produção de conhecimento;

– Integração das escolas a outras instituições de pesquisa e ensino; laboratórios de informática; acesso a acervos de livros e documentos históricos; capacitação dos professores.

– Gestão integrada dos centros de assistência à saúde; interligação com serviços de emergência como o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil; uso de novas tecnologias, tais como videoconferência e telemedicina.

– Interligação via computadores de órgãos como as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros; instalação de câmeras de vigilância via Internet em pontos mais vulneráveis da cidade.

– Acesso à Internet sem fio para pequenos empresários; comunicação mais barata com entidades de classe ou empresários de outra cidade/região através da Internet ou da telefonia VoIP; incentivo ao turismo.

Inclusive poder-se-ia estudar a viabilidade do Projeto Ilhéus Digital contar com recursos para Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas do Pólo de Informática e Eletroeletrônica.

2. Liderar as providências para a implantação de uma Central de Tratamento de Resíduos Sólidos no nosso Distrito Industrial, em convênio com o Estado ou com o Governo Federal. Impedindo desta forma, que os resíduos gerados pelas Unidades Industriais instaladas no nosso Distrito, especialmente aquelas da área de Eletroeletrônica e Informática, possam vir a causar danos à nossa rica biodiversidade, principalmente ao Parque Municipal da Esperança;

3. Fazer um plano de manejo do Parque Municipal da Esperança, preservando-o e transformando-o numa área de lazer, resgatando projeto idealizado pela Ceplac e Fundação Pau Brasil, que prevê uma infra-estrutura necessária à exploração turística, com a instalação de equipamentos tais como: guarita para controle de acesso e segurança, mirante, unidades administrativas para educação ambiental e trabalho técnico-científico, banheiros, lanchonete e loja de souvenir, além de sistemas próprios para geração de energia e tratamento de resíduos.

Com esta iniciativa além de dotarmos a nossa cidade de mais uma opção de lazer para os ilheenses e para todos aqueles que nos visitam, estaremos preservando um Parque, que fica a poucos quilômetros do centro da cidade, onde podem ser encontrados rios e cachoeiras e onde coexistem ecossistemas diferentes como: floresta, mangue e vegetação de brejo.

No Parque da Esperança, de acordo com estudos da Fundação Pau Brasil, a flora impressiona pela variedade e exuberância, com árvores centenárias e muitas flores tropicais. Há ainda uma grande quantidade de espécies animais, principalmente aves e diversos tipos de roedores, como coelhos e saruês. Um tipo raro de pássaro, que recebeu o nome científico de Acrobartonis Fonsecae, jamais visto em outro lugar, foi catalogado no parque.

Pois é Newton, como filho desta terra, e é bom que aqui eu diga, filiado ao PT – Partido dos Trabalhadores, esta é a minha contribuição para que você faça um excelente governo e consiga melhorar a qualidade de vida de todos os ilheenses, trazendo progresso para a nossa terra, porém preservando o nosso meio ambiente.

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com


PROJETO CIDADES DIGITAIS CHEGARÁ A MAIS 160 CIDADES

1 outubro, 2008

Voltando a expressar o nosso desejo de discutir comunitariamente um Projeto de Cidade Digital para Ilhéus, transcrevemos a seguir e-mail que a Rede Global INFO, a maior rede de provedores de internet do Brasil, mandou para os seus Associados, tratando deste assunto.

Esperamos que o futuro Prefeito da nossa Cidade coloque a
transformação de Ilhéus em uma Cidade Digital, como uma das
prioridades do seu governo.

(Fonte: Rede Global Info)

PROJETO CIDADES DIGITAIS CHEGARÁ A MAIS 160 CIDADES
:: Ministério das Comunicações
:: 29/09/2008

Todos os órgãos públicos dos municípios serão interligados e a população ganhará internet gratuita

BRASÍLIA – O Ministério das Comunicações vai ampliar a rede banda larga sem fio do projeto de 20 para 160 municípios em todo o Brasil.

Em outubro deverá ser realizado um pregão presencial para a compra de novos equipamentos.

A ampliação seguirá as experiências bem-sucedidas do Cidades Digitais, como as de Belo Horizonte e Tiradentes (Minas Gerais); Piraí (Rio de Janeiro); Aparecida (São Paulo);  Santa Cecília do Pavão (Paraná); entre outros. Serão conectados à internet em alta velocidade órgãos municipais como escolas, postos de saúde, hospitais, delegacias, além de disponibilizar internet gratuita em espaços públicos.

“A vida da população nas cidades que já implantaram o projeto melhorou bastante com a utilização do ensino a distância, acesso a pesquisas, cursos profissionalizantes virtuais, telemedicina  e as demais atividades”, disse o ministro das Comunicações, Hélio Costa.

A comunicação pela internet vai permitir o tráfego de dados, voz e imagem, o que vai melhorar o serviço público e fazer uma  significativa economia. O Coordenador-Geral de Projetos Especiais do ministério, Carlos Paiva, cita o exemplo de Parintins, no Amazonas, onde o atendimento à saúde, por meio da conexão à internet via-satélite, evita que milhares de pessoas viajem de barco durante dias apenas para fazer uma consulta médica.