PELA REPRESENTAÇÃO DA ÁREA DE TIC NO CONGRESSO NACIONAL – II

15 setembro, 2010

Caros colegas atores da área de TIC da Bahia.

Cresce a minha convicção de que este é o momento mais oportuno em nossa história para que nós (atores da área de TIC da Bahia) possamos escolher e eleger os melhores representantes dos nossos interesses dentro do Poder Legislativo Brasileiro (Senado, Câmara de Deputados e Assembléia Legislativa).

Nossa área tornou-se forte geradora de renda e de empregos, e é devido que passemos  a merecer mais respeito e atenção do que nos foram dados até o momento pelos poderes legislativos. Tomemos  como exemplo o tratamento dado à regulamentação da profissão de Analista de Sistemas.

Sei que muitos de nós desenvolvemos uma forte rejeição ao tratamento de assuntos políticos. Como não temos tempo para mudar convicções (tampouco é este nosso principal propósito), solicito a estes que nos poupem de suas manifestações de pessimismo ou de descrença na obtenção de resultados positivos deste trabalho.

Por outro lado sabemos que existem muitos que enxergam a importância de políticas públicas direcionadas ao desenvolvimento de nossa área, bem como da necessidade de se alastrar o saber e o respeito às mesmas.

A Internet esta sendo utilizada nesta campanha como “palanque” por parte dos candidatos.  Lembrando que temos domínio de conhecimento na produção, no acesso e no uso deste “palanque” venho propor que nós , atores da área de TIC, também a utilizemos para expressar nossas visões de eleitores.

Cite VOCÊ os nomes de candidatos que, ao ser ver,  possuem perfis alinhados aos propósitos deste trabalho.  E vamos juntos submeter estes nomes à analise de todos os colegas que desejam a criação de frentes parlamentares de TIC nas casas legislativas brasileiras.

Não fique atrelado a siglas partidárias. Lembre-se que eles (os políticos) mudam de partido conforme suas conveniências.  O que  não podemos deixar é que eles quebrem o compromisso conosco. Daqui a quatro anos os partidos podem ser outros, porém nós (estando vivos) continuaremos eleitores.

Participe. Fortaleça agora as suas chances de ser ouvido quando da apresentação de seus pleitos e protestos aos legisladores, nos próximos quatro anos.

Texto de Deraldo Pitombo

Diretor da INFORUM


Políticos e internet ou Evitando dar um tiro no próprio pé

12 julho, 2010

O assunto do momento: A partir de AMANHÃ, 13 de julho, começa oficialmente a corrida eleitoral, incluindo, pela primeira vez de maneira quase que totalmente liberada, o uso da internet na caça aos votos.

A campanha via internet traz muitas vantagens sobre os tradicionais métodos de conquista de eleitores.

Em primeiro lugar, é uma campanha LIMPA. Limpa no sentido de que não espalha papel pelas ruas ou suja muros com pixações contra ou a favor qualquer candidato.

Depois, é uma campanha que não agride o eleitor em sua privacidade. Ele tem a oportunidade de ler as propostas dos candidatos SE QUISER, e QUANDO QUISER, ao contrário dos infames carros de som, que desta vez estão impedidos de rodar “nas proximidades de escolas, hospitais e sedes do poder Executivo e Legislativo da União, Estados e municípios”.

Além disso, a campanha online permite o feedback imediato dos eleitores, apoiando ou rejeitando as propostas ou posições dos candidatos. Isso, bem administrado, é informação preciosa e pode redefinir os rumos de toda uma campanha.

Outra vantagem é que a campanha na internet é muito mais barata do que  suas versões anteriores. Isso não quer dizer que “qualquer um pode fazer, e por isso será ‘de graça’ “. Pelo contrário. Você, candidato, quer uma campanha bem feita? Invista nela. Contrate profissionais competentes  e que não lhe deixem na mão na hora H.

Administrar pessoalmente uma conta no twitter é louvável, mostra interesse pessoal nos “seguidores”, mas… pode ser a maneira mais eficiente de dar um tiro no próprio pé. Uma frase mal colocada, na hora do sufoco, da raiva ou de cabeça quente pode gerar um efeito em cadeia de dimensões inimagináveis.

Tenho acompanhado twitters de diversos políticos, e, invariavelmente clico no botão de unfollow (deixar de seguir) por não aguentar as tolices que são ditas. Certamente com boa intenção, mas sem orientação, muitos políticos estão dissolvendo seu potencial uso da internet para conquistar votos em um mar de bobagens ditas sem pensar.

Pensando nisso, a Consultic, que tem em sua equipe profissionais envolvidos de maneira teórica e prática com as tecnologias da informação e comunicação, oferece o serviço de criação e gerenciamento de blogs e redes sociais para candidatos a cargos políticos. Isso não significa que a equipe da Consultic irá twittar pelo candidato ou fazer as postagens dos blogs, mas que irá dar ASSESSORIA E CONSULTORIA, além de monitorar as reações do público à campanha.

Ficou interessado? Leia mais e faça contato: ilheus.consultic@gmail.com