Como escolher seu próximo computador

26 novembro, 2011

Fim de ano, muita gente pensando em comprar um computador.

Vejam no vídeo a seguir, divulgado no site Olhar Digital,  um Guia como escolher seu próximo computador, preparado pelo pessoal da INTEL, principal fabricante mundial de processadores.

Claro que a INTEL puxa a brasa para a sua sardinha, mas trata-se de um vídeo com informações bem interessantes que vale a pena ser visto e que é recomendado também pela CONSULTIC.

 

 http://www.olhardigital.com.br/embed/22374

Anúncios

ASSEMBLÉIA DE CREDORES APROVA PLANO DE RECUPERAÇÃO DA BITWAY

4 agosto, 2011

logobitway-thumb

Em reunião realizada no Auditório da SUDIC – Distrito Industrial de Ilhéus, no dia 02 do mês de agosto de 2011, a Assembléia Geral de Credores aprovou o Plano de Recuperação apresentado pela Empresa BIT SHOP IND. COM. EXP. E IMP. LTDA. – Bitway Computadores.

No plano apresentado pela Empresa e aprovado pelos credores quirografários, os débitos foram revistos e re-escalonados em prazos exeqüíveis. Quanto aos credores trabalhistas, ficou acertado que será providenciada a homologação de todas as rescisões anteriormente efetuadas e pendentes, com pagamento imediato e integral de todos os créditos trabalhistas.

A Empresa havia pedido a sua Recuperação Judicial no fim do primeiro semestre de 2010, tendo em vista a crise que se abateu sobre o mercado financeiro no ano de 2008 e que foi devastadora para a organização, na medida em que inflacionou os preços dos seus insumos adquiridos com base na cotação do dólar.

O sistema de recuperação judicial utilizada pela BITWAY, que foi introduzido pela Lei número 11.101/2005, visa a manutenção das empresas geradoras de renda, a preservação dos empregos dos trabalhadores e visa também atender os interesses dos credores. Com a recuperação judicial são criadas as condições para o saneamento empresarial, e consequentemente para a preservação e desenvolvimento da Empresa, que continuará a desempenhar a sua responsabilidade social, gerando emprego e renda.

É uma excelente notícia para Ilhéus e para o seu Pólo de Informática e Eletroeletrônica.

Carlos da Silva Mascarenhas

carlos.consultic@gmail.com

 


Venda de computadores tem queda histórica em 2009

2 março, 2010

 

AE  Agencia Estado

SÃO PAULO – Pela primeira vez em quase uma década, a venda de computadores registrou queda no País. Dados divulgados ontem pela empresa de pesquisas IDC mostram que o setor deixou de vender no ano passado 800 mil aparelhos em relação a 2008. Quem puxou a queda foi setor corporativo. Com o dólar valorizado e pouco crédito no início do ano, as empresas deixaram de investir em itens básicos de infraestrutura, como computadores.
No total, foram vendidos 11 milhões de equipamentos, entre desktops, notebooks e netbooks (um note menor). Em 2008, foram 11,8 milhões. A recuperação veio só no último trimestre, impulsionada pela isenção de impostos para o setor e novas linhas de crédito, com programas de inclusão digital para professores. O resultado só não foi pior porque os chamados "usuários domésticos" continuaram comprando, principalmente notebooks.

Este ano, o mercado de computadores deve ter uma novidade. Pela primeira vez, a compra de computadores portáteis por brasileiros deve superar a de desktops. "Hoje estamos em 50% para cada modelo no segmento de usuário doméstico", disse Luciano Crippa, analista do setor de PCs da IDC. Os brasileiros levaram para casa no ano passado um número de notebooks que superou em 36% a quantidade vendida em 2008. Entre os usuários corporativos, houve redução de 16%.

Segundo Crippa, essa substituição do desktop pelo portátil ainda não é interessante para as empresas. "O cliente corporativo não quer que o computador saia da empresa, com o risco de expor informações confidenciais", disse. "Enquanto o usuário doméstico quer levar a informação para todo lugar."

As sondagens de 2007 e de 2008 mostravam os consumidores da classe C comprando o primeiro desktop, enquanto os das classes A e B começavam a se familiarizar com a tecnologia do notebook. A pesquisa do ano passado já identificou uma parcela da classe C substituindo o primeiro computador por notebook. Nos segmentos A e B, os portáteis lideram a aquisição do segundo ou terceiro computador da família.

Para este ano, o estudo do IDC indica uma retomada da indústria dos computadores, com números animadores que chegam a superar o patamar de 2008. A expectativa é de que sejam comercializados 12,8 milhões de PCs. "Não chega a ser uma explosão de vendas, que comprometa a capacidade das empresas, mas as perspectivas são boas."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Disponível em: http://economia.estadao.com.br/noticias/not_7077.htm


2010, E AS NOVAS TECNOLOGIAS A CAMINHO DA CONSOLIDAÇÃO

30 dezembro, 2009

O Jornal A Tarde, em sua edição de 30.12.2009, traz excelente artigo de Thiago Fernandes sobre as novas tecnologias, abordando desde aspectos de softwares e especialmente das redes sociais, até aspectos de hardwares (Texto não disponível na internet).

Começa assim o artigo de Thiago:

“No mundo online, o ano de 2009 vai ficar marcado como aquele em que os brasileiro descobriram que existem outras redes sociais além do Orkut. A rede do Google viu o rápido crescimento dos concorrentes, apesar de nem de longe ter sua soberania ameaçada. Nada menos que 80% dos brasileiros que acessam a internet têm perfil no Orkut. São 28 milhões de usuários, contra 9 milhões do Twitter e 7,5 milhões do Facebook no país em dezembro.”

Vejam a seguir, as tendências que o artigo aponta para o próximo ano:

COMPUTAÇÃO EM NUVEM

Em 2010 a tendência é de crescimento da oferta e de uso dos serviços de processamento e armazenamento de informação na rede, a chamada computação em nuvem, já bastante difundida, mas que tende a crescer com a oferta de banda larga mais rápida e conectividade em qualquer lugar.

CELULAR COM INTERNET

A tendência e que os aparelhos com conexão à internet se tornem padrão. Associado à tendência de barateamento da conexão 3G, isso vai mudar a forma como as pessoas usam a internet no celular. Vão passar a ficar sempre conectados à rede, sempre disponíveis e aí, mais que nunca, falar no telefone será uma coisa secundária.

KINDLE

Depois da chegada ao Brasil em 2009 ainda não vai dar para falar em popularização do livro eletrônico, mas será mais comum vê-lo por aí. Ainda mais porque já existe uma tendência jurídica para enquadrá-lo na mesma legislação de importação de livros, o que o deixaria livre de impostos e cortaria o preço pela metade, chegando ao consumidor final na faixa de 500 reais.

Alex Castro preparou um artigo bastante útil para quem quer conhecer melhor o Kindle.

NETBOOKS

Outra tendência que vai se manter em 2010 é o crescimento da venda de netbooks – os notebooks pequenos, feitos para navegar na internet. O cenário vai ficar ainda mais interessante porque a Apple deve lançar um aparelho desse tipo ainda no começo do ano. O fato poderá redefinir a forma como as pessoas se relacionam com esse tecnologia, da mesma forma como ela fez com o celular quando lançou o iphone.

TV DIGITAL

Em 2010 as emissoras começam a testar a interatividade da TV digital, mas ainda não se sabe exatamente o que estará disponível. A expectativa é que com a Copa do Mundo estejam disponíveis opções como a escolha de ângulo da transmissão. Além de que o evento tradicionalmente estimula a venda de televisores. Será um grande impulso para a popularização da transmissão de TV digital.

POPULARIZAÇÃO DO 3G

As operadoras estão programando grandes investimentos na melhoria da rede 3G, o que deve fazer com que essa seja uma opção cada vez mais viável para concorrer com as redes ADSL (Velox e GVT). Ainda mais porque a tendência é que continue a migração das pessoas do desktop para o notebook, o que incentiva a busca por conexões móveis, que se possa usar não só em casa, mas em qualquer outro lugar.

REDES SOCIAIS

Se 2009 foi o ano em que os brasileiros descobriram outras redes sociais além do Orkut, 2010 será um ano em que as redes vão se integrar ainda mais. Essa é uma tendência em todas elas, que investem cada vez mais em facilitar a vida dos usuários. As fotos que se publica no Flickr vão estar visíveis para seus amigos no Orkut, as atualizações do Twitter vão aparecer no Facebook. Cada vez mais fará menos sentido pensar em cada um deles individualmente, mas vamos caminhando para entender a vida online como uma coisa única.